M&S
ITA
ENG
FRA
ESP
POR
RUS
 


Moagem

Peneiramento

Para Sal

Para Colas

Coloração a Seco

Moagem a Seco para Ceramica

Gres Porcellanato

Ceramica Vermelha

Micronização de Materiais Duros

Recuperação Dos Descartes Cerâmicos

Moagem De Carvão

Bagaço De Azeitona

Barita

Peneiramento Do Açúcar

 

 

 

 

 

 

 

 

 


MOAGEM DA BARITA

Barite Barite
Barite Barite

A Manfredini & Schianchi propõe soluções para o processamento e a moagem da barita.

Graças a uma tecnologia baseada na interação de máquinas de ponta da marca Manfredini & Schianchi, é possível realizar a moagem da barita utilizada na indústria petrolífera obtendo um material que atende às normas vigentes do API (American Petroleum Institute) e conseguir até mesmo aproveitar tipos deste mineral que são atualmente descartados por apresentarem características físicas inadequadas.

A barita

A barita é um mineral de bário (sulfato de bário, BaSO4), com dureza médio-baixa (3 na escala Mohs) e peso específico médio de 4,5 kg/dm3. A principal utilização deste mineral está na indústria petrolífera, na qual é empregado como elemento capaz de aumentar a densidade das lamas na exploração do petróleo (graças ao seu peso específico elevado) para facilitar a perfuração da crosta terrestre e alcançar as jazidas de petróleo.

As normas atuais de referência para a lavra e processamento da barita petrolífera são promulgadas pelo API (American Petroleum Institute) e impõem restrições precisas para o que se refere ao peso específico deste material, considerado determinante pela sua função de aumento da densidade das lamas de perfuração, e à granulometria da barita moída para a utilização nestes tipos de aplicações.

Atualmente, os parâmetros impostos são os seguintes:

  • Peso específico mínimo: 4,2 kg/dm3
  • Resíduo > 75 µm: 3,0% máximo
  • Resíduo < 6 µm: 30,0% máximo

Moagem da barita

Considerando duas amostras de barita caracterizadas por peso específico diferente (uma de 4,1 kg/dm3 e a outra de 4,2 kg/dm3) e submetidas à moagem apenas com moinho pendular: no final da moagem, obtém-se um material com granulometria extremamente fina, cujo peso específico aparente (ou seja, calculado sobre o material moído e não sobre 1 dm3 de material ideal) será diferente entre o tipo de barita com peso específico inicial de 4,1 kg/dm3 e o tipo com peso específico inicial de 4,2 kg/dm3. Justamente esta diferença torna a barita com peso inicial de 4,1 kg/dm3 inutilizável no âmbito petrolífero.

Para resolver este problema e permitir o aproveitamento das reservas naturais extremamente amplas de barita com peso específico de 4,1 kg/dm3, a Manfredini & Schianchi propõe a moagem combinada baseada na associação Moinho Primário de Martelos + Moinho Pendular de Acabamento, capaz de produzir um material com corte granulométrico final que atende plenamente às normas API atuais (ou seja, Resíduo > 75 µm: 3,0% máximo), porém com uma distribuição granulométrica mais homogênea nas várias frações.

Moendo com este método um tipo de barita com peso específico de 4,1 kg/dm3, obtém-se uma curva granulométrica que prevê cerca de 12% < 10 µm e 100% inferior a 75 µm: o peso específico de material com esta distribuição granulométrica é idêntico ao típico de baritas com peso específico inicial de 4,2 kg/dm3 moídas apenas com o moinho pendular.

A associação Moinho Primário de Martelos – Moinho Pendular de Acabamento proposta pela Manfredini & Schianchi para a moagem da barita, permite obter um material moído 100% < 75 µm, porém com uma distribuição granulométrica mais homogênea e uma menor presença de material ultrafino, o que torna também a barita com peso específico de 4,1 kg/dm3 adequada para as aplicações no campo petrolífero.

Barite

 

Barita 4.1 moída apenas com moinho pendular

 
Barita 4.1 moída com moinho primário de martelos + moinho pendular de acabamento

Além deste resultado, que torna potencialmente utilizáveis grandes reservas de matérias-primas até hoje não exploradas, a utilização do Moinho Primário de Martelos associada ao Moinho Pendular de Acabamento proposta pela Manfredini & Schianchi permite aceitar na alimentação da planta material de tamanho grande (até 200-250 mm) e eventualmente com impurezas.

Além disso, tanto no Moinho Primário de Martelos, como no Moinho Pendular de acabamento propostos pela Manfredini & Schianchi, é possível instalar dispositivos térmicos para o gerenciamento de matérias-primas com teores de umidade elevados.

 

Os dados fornecidos são indicativos e podem ser alterados sem aviso prévio

 

 


Via G.M. Dallari, 2 - 41049 Sassuolo (MO) - Italy
Tel. +39-0536-801207 Fax: +39-0536-807248
Email: sales@ms-plants.it